quarta-feira, 25 de junho de 2014

Citroën apresenta protótipo C4 Cactus Adventure


Lançado há cerca de 5 dias, o C4 Cactus já serve de base para um protótipo: O Aventure Concept, que confere ao Cactus um aspecto mais agressivo e off-road, que recorda veículos TT, como o Citroen Mehari. O protótipo conta com a carroçaria em branco, e com os característicos AirBumps numa tonalidade de preto mate e amarelo limão tal como os espelhos retrovisores e colunas em preto mate.


Os pára-choques ganham novas protecções com barras metálicas à frente e atrás, as bull-bars (chamadas de mata-vacas), e há uma caixa de transporte de mercadoria no tejadilho, que agrega dois faróis auxiliares na frente. O Citroën C4 Cactus Aventure Concept tem pneus BF Goodrich Mud-Terrain T/A, de 215/75 R com jantes de aço em preto mate com 15 polegadas. A altura em relação ao solo foi também aumentada razoavelmente.

domingo, 22 de junho de 2014

A História da Lamborghini


Nos anos 50 e 60, Ferrucio Lamborghini (1916-1993) era o presidente da bem sucedida empresa de tratores Lamborghini Trattori S.p.A..

Ferrucio Lamborghini sempre foi um amante de carros desportivos, e era o dono de um Ferrari 250 GT. Porém, supostamente Ferrucio Lamborghini detectou problemas na embraiagem do seu Ferrari e foi falar com Enzo Ferrari, que lhe respondeu "Você não percebe nada de carros. Vá conduzir tratores!". Confrontado por uma afirmação destas, Ferrucio decidiu fazer a promessa de que conseguiria criar uma marca de supercarros  melhor do que a Ferrari.

A promessa foi cumprida, e poucos anos depois, em 1963, nascia, a 17 km da sede da Ferrari, a Lamborghini Automobili. O primeiro modelo da nova marca doi o 350 GTV, seguido do Miura P400 em 1966, apenas três anos depois.

1970 foi um período conturbado para a fabricante italiana. Devido às crises do petróleo que assombravam o mundo dos supercarros, a Lamborghini foi à falência, tendo sido comprada por um grupo de investidores suiços. Já a divisão de tractores acabou por ser vendida à Fiat. Por esta altura, Ferrucio Lamborghini saiu da marca, tendo morrido em 1993.

Em 1987, a Chrysler comprou a Lamborghini aos investidores suíços. Foi após este negócio que nasceu um dos modelos de maior sucesso da marca: o Diablo. Apesar do modelo ter sido bem sucedido, no final dos anos 90 voltaram as dificuldades económicas, e a marca voltou a ser comprada por investidores, neste caso da Indonésia.

Em 1998, pouco tempo após a aquisição dos investidores Indonésios, a Audi decide comprar a Lamborghini. Actualmente, como a Audi pertence ao grupo Volkswagen, a Lamborghini também pertence, o que reavivou finalmente a Lamborghini das constantes crises.

sábado, 21 de junho de 2014

Jaguar Land Rover cria divisão de personalização

Tal como a Mercedes tem a AMG, ou a Fiat a Abarth, a Jaguar Land Rover criaram a JLR Special Operations, que vem para se responsabilizar pela criação de veículos de alta perfomance, edições limitadas e modificações por encomenda.


Para além das já habituais criações deste género como a Abarth, a JLR, liderada por John Edwards, será também responsável pela restauração de clássicos históricos da marca.
Para o novo centro técnico da marca, em Londres, irão também 150 técnicos da divisão JLR.

Será também criada uma oficina para clássicos onde serão construídas seis recriações do Jaguar E-Type. 

VW faz aposta delicada nos SUV

O aumento das vendas neste segmento vai levar a marca alemã a triplicar a sua gama de SUVs nos próximos quatro anos.

A Volkswagen acredita que pode ser a marca mais vendida até 2018, ultrapassando a Toyota, usando como truque a venda de SUVs. Com os olhos postos nas tabelas da PricewaterhouseCoopers, a Volkswagen pretende assumir o risco e aumentar a sua gama deste segmento de 2 veículos para 6 nos próximos anos.
Roman Mathyssek reforça também a ideia que "o segmento dos SUV ainda está a creser globalmente, e é um segmento-chave para todos os construtores". Mathssek vai mais longe e acrescenta que " a VW ainda tem potencial para crescer nos SUV, que os ajudará sobretudo a cimentar a sua posição nos EUA e em mercados emergentes".


Além da gama atual (Touareg e Tiguan), a VW irá lançar brevemente o pequeno jipe Taigun, vindo do conceito T-Roc, o Cross Blue Concept e provavelmente uma versão coupé derivada deste modelo.
Christoph Stuermer afirma que os construtores japoneses foram os primeiros a encontrar o grande potencial deste segmento e daí desenvolveram produtos inovadores para ficarem um passo à frente dos europeus. De acordo com o crescimento de vendas desta gama, e o aparecimento de variantes coupé previstas para os próximos tempos, tudo indica que os SUV e crossover fiquem ainda mais na moda.

Detroit Electric SP:01 em testes

O Detroit Electric SP:01 terá fabrico em solo europeu e anuncia ser capaz de atingir os 100 km/h em 3,7 segundos.

Depois de bastantes adiamentos na sua produção, a Detroit Electric anuncia que o lançamento do veículo com fabrico na Holanda está para breve. A marca já publicou imagens oficiais do roadster que está de momento a finalizar os estudos de dinâmica. E de facto estes são os passos mais importantes no desenvolvimento do projecto desde que a versão de pré produção foi apresentada em 2013 em Detroit e em Xangai.


O carro tem a base do Lotus Exige, e vem com um motor central eléctrico e tracção à retaguarda. Conta com 204 cavalos e 225 Nm de torque, com que deverá ter capacidade para atingir os 250 km/h. De acordo com as informações já adiantadas pela montadora, a versão com capota retráctil deverá ser limitada a 999 unidades.

Fica a promessa da marca para mais novidades nas próximas semanas.

domingo, 15 de junho de 2014

Nova Renault Trafic


A Renault apresentou o novo Trafic, modelo que em 34 anos de vida conta com 1,6 milhões de unidades vendidas. Com chegada prevista ao mercado nacional para o verão, este furgão incorporará a nova identidade visual.

A Renault apresentou oficialmente a nova Trafic, um modelo que nos seus longos 34 anos desde que foi lançado já vendeu mais de 1,6 milhões de unidades. Com chegada ao mercado esperada no verão de 2014, este comercial terá a nova identidade visual da Renault.


Na frente, destaca-se o enorme logótipo da Renault, em conjunto com uma enorme grelha frontal. A entrada de ar é bastante larga.
Este novo veículo comercial terá como motorização o novo 1.6 dCi da Renault.

Citroën C4 Cactus apresentado

Após, vários meses, eis que foi finalmente apresentado o Citroën C4 Cactus, cuja estética impressiona a muitos.


Este SUV pretende trazer alguma da personalidade do antigo 2 CV, apesar de não ser tão revolucionário e inovador.

A Citroën decidiu usar, não a plataforma do C4 mas sim a do C3 para desenvolver o C4 Cactus. Assim, apesar de se tratar de um modelo de seg. C, está a meio entre o C e o B.


Esta plataforma é otimizada para os motores de última geração do grupo PSA (Peugeot e Citroën) o que reduz o consumo de combustível e emissões, (apenas de 82 g/km de CO2 e 3,1 l/100 km na versão diesel e menos de 100 g/km de CO2 em versão a gasolina, diz a marca).


Incorporados nas portas e parachóques, os Airbumps são o principal destaque deste SUV. Estando eles disponíveis em quatro cores (Preto, cinza, Dune e Chocolate), eles são também uma vantagem na hora de personalizar o carro, em associação também com as 10 cores exteriores à escolha e os 3 interiores (Ambiance Stone Grey, Pack Habana Inside e Pack Purple Inside).


Porém, os Airbums são muito mais que isso. A marca francesa afirma que esta inovação que consiste em bolhas de ar dentro de uma espécie de placa de PVC servem não só para a estética como também para proteger o veículo de colisões com carrinhos de compras e de batidelas de outras portas. É assim algo que junta o útil ao agradável (conforme os gostos, claro).


O Cactus tem um tamanho bastante compacto para o segmento em que se insere, principalmente devido à plataforma partilhada com o C3. Conta com uma distância entre eixos de 2,60m, o que é bastante benéfico para o espaço do habitáculo.

Com um comprimento de 4,16m e de largura 1,73m, este modelo não deixa de ser bastante compacto, porém, devido à sua distância entre eixos, espaço não lhe falta.


Ainda no interior, podemos ver um painel de bordo com linhas mais horizontais, o que permite oferecer ainda mais espaço para o passageiro, e um volume do porta luvas de dimensões generosas e com um fácil acesso. Tal foi conseguido pela adoção de uma interface digital na consola central e devido a uma nova arquitetura do posto de condução. O airbag do passagiro está situado no tejadilho (tecnologia Airbag in Roof), e os botões de controlo da consola central foram completamente substituídos por um ecrã tátil de 7 polegadas que agrupa todas as funções (climatização, rádio, navegação, telefone, etc.) O painel de instrumentos foi também substituído por um pequeno ecrã que inclui o velocímetro.


Para a caixa automática ETG, a alavanca das mudanças foi substituída pelo sistema «Easy Push». Este sitema simplificado consiste em apenas três botões para selecionar a posição que desejamos (D, N e R). Se decidirmos conduzir em modo de caixa sequencial, podemos fazê-lo pelas patilhas do volante.

Os bancos da frente foram também alvo de novidades. São corridos ao estilo sofá, para melhorar ainda mais o espaço do habitáculo. Nos bancos de trás, o espaço é semelhante ao de um C4.


Como ajudas à condução podemos contar com funções como a câmara de visionamento traseiro, o sistema Park Assist ou limitador-regulador de velocidade programável.